Minas Gerais reconhece Folias de Reis do Estado como Patrimônio Cultural Imaterial

Grupo de Reisado se apresentando em Muqui, Minas Gerais/Pit Thomspon

Grupo de Reisado se apresentando em Muqui, Minas Gerais/Pit Thomspon

Hoje (6 de janeiro) as Folias de Reis foram oficialmente reconhecidas como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Minas Gerais. A decisão do Conep (Conselho Estadual do Patrimônio Cultural) ocorreu após o levantamento dos grupos existentes realizado pelo Iepha (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais). Ao todo, 1.255 grupos foram cadastrados no Estado pela pesquisa.

A comemoração do Dia de Reis começou no Brasil com os portugueses, no período colonial. Mas, de lá pra cá, as festividades foram adquirindo características brasileiras. Hoje, as grandes comemorações, conhecidas como Reisadas, expressam essa tradição cultural e imaterial do país, sendo comemoradas também em São Paulo.

Para os católicos, o dia de hoje marca a data em que Jesus foi visitado pelos três Reis Magos com seus presentes. É comemorada em diversos Estados, como Bahia, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, São Paulo, entre outros.

O tema das apresentações varia, e depende da região e da época em que são realizadas. As Reisadas e suas encenações, com danças e canções, podem retratar guerras, histórias românticas e também religiosas. Os grupos possuem divisões, e cada integrante tem uma função. Os Três Reis Magos são retratados, e há também os palhaços, responsáveis por entreter as pessoas e coletar as doações feitas para o grupo. Os instrumentistas e cantores formam o coro, e os bandeireiros levam a bandeira, chamada de “doutrina”, que é a identificação dos conjuntos. 

O Iphan do Rio de Janeiro recebeu em junho do ano passado um pedido de registro das Folias de Reis, resultado de uma pequisa do departamento cultural da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). De acordo com o órgão do patrimônio, há um estudo em andamento, faltando apenas a aprovação da comissão técnica. Se isso ocorrer, os grupos e suas manifestações serão oficialmente considerados Patrimônio Cultural Imaterial do Estado.

EM SÃO PAULO

Na cidade de São Paulo, o grupo Folia de Reis Estrela do Oriente, da Vila Nhocuné (Zona Leste), que se apresenta há 40 anos na região, passa nas portas das casas cantando e dançando as músicas tradicionais. São cerca de 10 integrantes. As festividades começam em 29 de dezembro. Um dos objetivos é arrecadar mantimentos para a festa de encerramento, marcada para 14 de janeiro, às 20h, na Sociedade Amigos do Jardim Samara.

Na Penha, após o encerramento da Missa Afro-Brasileira neste domingo (8 de janeiro), na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, o grupo de pesquisa em cultura tradicional “Folia de Poá” fará intervenções musicais e outras apresentações artísticas típicas da Folia de Reis.

SERVIÇO

Missa Afro-Brasileira + Apresentação do Folia de Poá
Igreja do Rosário dos Homens Pretos
Endereço: Largo do Rosário, s/n – Penha
Horário: 8 de janeiro (domingo), missa às 10h, seguida de apresentação do grupo “Folia de Poá”, às 12h.

Festa do grupo Folia de Reis Estrela do Oriente
Sociedade Amigos do Jardim Samara
Endereço: Rua Cândido Dores, 71 – Jardim Hercília
Horário: 14 de janeiro (sábado), às 20h.