Prêmio Murillo Marx é concedido a Carlos Lemos, Paulo Garcez e Carlos Beutel

edit2

Carlos Lemos recebe o prêmio de Dalva Thomaz e Mauro Pereira, técnicos do DPH/Luísa Bittencourt-SMC

A cada dois anos, o DPH concede o prêmio Murillo Marx a personalidades de destaque na valorização e preservação do patrimônio.

Neste ano, segunda edição da premiação, Carlos Beutel foi o escolhido na categoria “Ativismo”. Beutel promove desde 2005, todas as quintas-feiras, passeios noturnos pelo centro da cidade por meio da “Caminhada Noturna”. Durante o passeio, lugares históricos e edifícios de destaque são apresentados ao público.

 

Carlos Beltel ao lado de Nadia Somekh durante a entrega do prêmio Murilo Marx
Carlos Beutel ao lado de Nadia Somekh durante a entrega do prêmio Murilo Marx/Luisa Bittencourt-Assessoria de Comunicação-SMC

Na categoria “Trajetória Acadêmica”, o premiado foi Paulo César Garcez Marins, professor doutor do Museu Paulista da USP, docente da pós-graduação da FAUUSP e da pós-graduação em Museologia da USP. A atuação de Garcez tem como foco os museus de história, a história cultural, a história urbana, a história da arquitetura no Brasil e a identificação e gestão do patrimônio cultural.

Paulo Garcez recebe o prêmio de Dulce Cipriano, técnica do DPH, e Nadia Somekh, diretora do DPH
Paulo Garcez recebe o prêmio de Dulce Cipriano, técnica do DPH, e Nadia Somekh, diretora do DPH/Luisa Bittencourt-Assessoria de Comunicação-SMC

Por fim, pelo “Conjunto da Obra”, o premiado foi o professor titular da FAUUSP Carlos Lemos, autor de livros de divulgação como “O que é patrimônio histórico?”. Considerado um dos maiores historiadores da arquitetura, Lemos também tem tido um relevante papel na divulgação do conhecimento sobre o significado dos bens arquitetônicos, tanto em suas pesquisas, como em livros e artigos de jornal. Seu último livro é uma coletânea de textos de sua autoria chamado “Da Taipa ao Concreto: Crônicas e Ensaios sobre a Memória da Arquitetura e do Urbanismo”. A publicação foi organizada pelo também professor da FAUUSP José Lira.

CONVÊNIOS COM UNIVERSIDADES

A cerimônia de premiação ocorreu no auditório da Secretaria Municipal de Cultura, na última sexta-feira, ocasião em que a diretora do DPH, Nadia Somekh, fez um balanço das inovações introduzidas em seus quatro anos de gestão.

No mesmo evento, Nadia celebrou convênios com a Adesampa (Agência São Paulo de Desenvolvimento) e seis universidade: Anhembi-Morumbi, Escola da Cidade, FAAP, FAUUSP, FIAM-FAAM, Mackenzie e São Judas.

Um texto sobre a primeira edição do prêmio, de 2014, pode ser lido no site Vitruvius.

SOBRE MURILlO MARX

Murillo Marx foi o primeiro diretor do DPH. Professor da FAUUSP, sua tese de livre-docência, “Nosso Chão: Do Sagrado Ao Profano”, de 1987, virou um livro. A obra trata da evolução dos espaços urbanos públicos brasileiros, com foco na cidade de São Paulo. Marx também foi diretor do IEB (Instituto de Estudos Brasileiros), do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, vice-presidente do Condephaat e conselheiro da Pinacoteca.